EnglishPortugueseSpanish
EnglishPortugueseSpanish

Nova lei no alistamento militar sul-coreano pode atingir futuramente idols que nasceram no Exterior mas moram na Coréia do Sul

O governo sul-coreano divulgou notícias no dia 6 de Junho de 2021, a respeito das leis e diretrizes de serviço nacional para cidadãos sul-coreanos nascidos no exterior. De acordo com as novas leis, os cidadãos coreanos nascidos em solo sul-coreano ainda terão que servir nas forças armadas, caso tenham passado 3 anos ou mais na Coreia do Sul.
Se uma pessoa nasceu no exterior mas tem um passaporte coreano, ele é considerado um cidadão coreano. Esse quesito inclui cidadãos sul-coreanos que possuem visto de residência permanente em outro país.
No passado, cidadãos que passam longos períodos de tempo vivendo no exterior eram isentos do serviço na característica de que a adaptação à cultura e à hierarquia sul-coreanas seria difícil.
Porém, a nova lei ordena que tais cidadãos se alistem caso retornem à Coreia do Sul para residir por 3 ou mais anos depois seu tempo no exterior.
Pessoas sul-coreanas nascidas no exterior como Mark e Johnny do NCT e  Jacob e Kevin do THE BOYZ, possuindo um passaporte não coreano, são considerados estrangeiros e não precisarão servir.
Agora chegamos em outro ponto: Idols que possuem dupla cidadania.
De acordo com a lei sul-coreana, ao completar 18 anos, o homem deve escolher se deseja continuar com a dupla nacionalidade ou não. Se desejar manter a dupla cidadania, ele precisará servir no exército sul-coreano. No entanto, se ele não deseja servir, terá que desistir da cidadania coreana.

Ministry of Gender Equality and Family / 여성가족부

Bangchan e Felix do STRAY KIDS por exemplo, optaram pela nacionalidade única, mas Vernon do SEVENTEEN obtém a dupla. No futuro, Vernon poderá ter que servir ao exército.

O Tribunal Constitucional disse em nota:

“Os requerentes que não cumprirem suas obrigações de serviço militar podem perder seu status para permanecer na Coreia do Sul por um determinado período de tempo.”

Os “coreanos de segunda geração” no exterior são aqueles que nasceram no exterior (aqueles que deixaram o país antes dos 6 anos), aqueles que obtiveram nacionalidade, cidadania ou residência permanente enquanto seus pais viviam no exterior até os 17 anos e aqueles que obtiveram status de permanência em um país que não tem um sistema de residência permanente.
Fonte: (1), (2).
 
 

Compartilhe esse post

Veja mais